Arquivos na categoria ‘Movimento Estudantil’

INTERVENÇÃO DOS ESTUDANTES DO CENTRO PELA PERMANÊNCIA ESTUDANTIL

Intervenção  feita em conjunto por estudantes e CAs do Centro no prédio da Praça da República, 22 no dia 11 de dezembro.

Enquanto a UFRJ abandona vários de seus terrenos, nós não temos qualquer infraestrutura de bandejão e moradia para permanecer na universidade!

PWE

NOTA DOS CENTROS ACADÊMICOS PELA PERMANÊNCIA ESTUDANTIL NO CENTRO

Com a expansão da universidade, a adoção do sistema ENEM/SISU e o aumento progressivo da política de cotas, o perfil do estudante da UFRJ está mudando, finalmente estudantes oriundos das classes populares historicamente desfavorecidos estão do lado de dentro dos muros da universidade. Agora o desafio é fazer com que permaneçam e concluam seus cursos, desafio este que o governo federal e a reitoria vem sistematicamente negligenciando.

Com os estudantes do centro isso não é diferente, IFCS, FND e Escola de Música sofrem um processo de isolamento político e institucional dentro da Universidade. Isso resulta em campus sem bandejão, moradia e com restrições de acesso pelo transporte interno. A própria UFRJ classifica nossos espaços como “Unidades Isoladas”, no entanto, mesmo com essa classificação, ressaltamos que permaneceremos no centro da cidade. Podemos estar isolados fisicamente, mas defendemos nosso papel na disputa por uma universidade pública, gratuita e de qualidade. É compromisso de todos os estudantes lutar contra a elitização da universidade e todas as formas de opressão existentes nela.

Os Centro Acadêmicos abaixo listados, exigem uma política de permanência estudantil realmente efetiva que ultrapasse o simples limite de algumas bolsas pagas. Queremos bandejão, moradia, transporte interno eficiente. Uma estrutura que realmente favoreça a permanência estudantil.

Nesse sentido, nossa postura durante o ano de 2015 será combativa. Exigimos que o governo federal e a reitoria tratem a permanência estudantil como prioridade e trabalhem pelo nosso direito. Por uma universidade cada vez mais colorida, popular e realmente inclusiva!

Centros Acadêmicos da UFRJ, uni-vos!

CACS – MCC
CAMMA
CAEFD
CACO

REFORMA POLÍTICA E DEMOCRTIZAÇÃO DA MÍDIA – ATO NO DIA 08 DE DEZEMBRO

A campanha eleitoral para a Presidência e os mais recentes acontecimentos políticos no País colocaram na ordem do dia os debates sobre a reforma política e a democratização dos meios de comunicação.

Os setores conservadores já se organizam para travar a disputa em torno desses dois temas. Por um lado, tentam fazer avançar no Congresso, sem a participação popular, um projeto de reforma política que, entre outras coisas, constitucionaliza a contribuição de empresas para campanhas eleitorais (revertendo a decisão que está em vias de ser tomada pelo STF) e institui o voto distrital para o Poder Legislativo. Por outro lado, buscam associar qualquer tentativa de regulação das concessões públicas dos meios de comunicação com um falso cerceamento à liberdade de imprensa.

É preciso que os setores comprometidos com as causas populares, progressistas e de esquerda se organizem também para fazer essa disputa que será dura, em defesa de uma reforma com participação popular que garanta o aprofundamento da democratização de nosso sistema político, inibindo a força do poder econômico, corrigindo as distorções de representatividade e ampliando os mecanismos de participação direta do povo, e em defesa da democratização dos meios de comunicação, com iniciativas como o Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Mídia Democrática.

O povo brasileiro já aprendeu o caminho: não dá pra fazer política só durante as eleições, a cada dois anos. É preciso fazer política todo o dia, exercer a nossa cidadania a toda hora, lutar pelos nossos direitos hoje e sempre. Já deu pra perceber que não haverá avanços importantes e estruturais nos próximos quatro anos, sem mobilização e muita pressão popular. Vamos às ruas, exigir ‘Mais Democracia, Mais Direitos!’, queremos a ‘Reforma Política com Participação Popular!’, queremos a ‘Democratização da Mídia!’, queremos o ‘Fim da Corrupção, com Apuração Republicana e Punição Rigorosa!’, queremos o ‘Fim do Financiamento Empresarial das Campanhas!’.

Todos e todas às ruas para o Ato Politico Cultural “Mais democracia, Mais direitos! Democratização da Mídia e Reforma Política com Participação Popular!”.

Concentração às 17h nos Arcos da Lapa, com caminhada até a Cinelândia, onde haverá um ato Politico-Cultural.

REFORMA

CONCENTRAÇÃO PARA O ATO NO CONSUNI

No dia 27/11 vai rolar um ato no Conselho Universitário (CONSUNI) pela permanência estudantil na UFRJ!

O Conselho tem em seu primeiro ponto de pauta a Assistência Estudantil. Serão debatidas questões como o GT da UFRJ de Assistência Estudantil, a luta pelo bandejão em todos os campi, a demanda de melhoria nas políticas de moradia e o aumento de número e valor das bolsas!

Convidamos todas e todos estudantes da Faculdade Nacional de Direito, assim como demais estudantes do Centro para uma oficina de cartazes e concentração para o CONSUNI, às 8h, na varanda do CACO!

Não deixe de participar dessa luta tão importante!

*[AVISO: O CACO está tentando obter transporte para garantir nosso trajeto até o Fundão. Caso não consigamos usaremos o transporte público, custeando a passagem daquelas e daqueles que precisarem do auxílio]

atoconsuni

CONVOCAÇÃO – GT PARA ASSISTÊNCIA ESTUDANTI

O CACO convida todas e todos a participarem da instauração do Grupo de Trabalho para Assistência Estudantil. A reunião acontecerá dia 19/11, na Sala da Congregação às 11h e dará início aos trabalhos no espaço recentemente conquistado por nós estudantes dentro da FND para construirmos uma faculdade que atenda às demandas da permanência estudantil.

É de extrema importância a participação de todas as alunas e alunos, no sentido de levarmos todas as reivindicações para os espaços institucionais e ocupá-los da melhor maneira, de acordo com todos os estudantes.

Segue abaixo o cronograma das atividades do GT para Assistência Estudantil:

1) CRONOGRAMA
ATIVIDADE
DATA

Aprovação de constituição do GT pela Congregação
29/10

Instalação do GT e início dos trabalhos
19/11

Apresentação de Propostas à Congregação
10/12

Discussão e votação das Propostas de ações para 2015
17/12 (reunião extraordinária)

Início de implementação das Propostas
Fevereiro de 2015

2) AÇÕES
. Iniciar imediatamente a discussão para apresentação de propostas à Congregação.
. Considerar o que pode ser feito no âmbito da FND
. Encaminhar as propostas finais à Direção da FND até o dia 05/12, com uma exposição geral de motivos .

3) PROPOSTAS À CONGREGAÇÃO PARA 2015 (iniciais, apenas a título de exemplificação)
. digitalização de material didático para permitir a consulta pela Internet, sem gastos em xerox (feita pelos Departamentos e disponibilizada);
. assistência psicopedagógica (demanda à PR4);
. aumento do espaço e dos terminais do LIG no 4º andar;
. melhoria do wi-fi dentro da FND;
. licitação da xerox com preços diferenciados para alunos da UFRJ;
. mobilizar demanda junto à Reitoria para local (no Centro da Cidade) para instalação de um R.U.

CACO 2015 – Movimento Pelo Direito, Sempre!

gtassistencia

CARTA ABERTA AO PRESIDENCIÁVEL LEVY FIDELIX

Candidato Levy,

profundamente enojados por suas desprezíveis palavras proferidas no debate da Rede Record em 28 de setembro, viemos manifestar nosso mais profundo repúdio ao seu discurso de ódio proferido em rede nacional que ofendeu milhares de pessoas em um minuto e meio.

Mesmo em uma sociedade machista, patriarcal e homofóbica como a que vivemos, não há registros de um discurso tão perigoso, que incita o ódio e que tenha agredido, ofendido e humilhado tantos LGBT*s, partindo de um presidenciável na história do período democrático sob a Constituição de 88, como fez o sr. sua fala na noite do último domingo.

Para o sr. pode ter sido apenas uma manifestação de opinião, mas para a comunidade LGBT* foi o um minuto e meio das mais violentas agressões, ferimentos, e insultos que se podia ouvir naquele momento.

Não reproduziremos aqui qualquer trecho do seu discurso nefasto, pois não desejamos nunca mais ouvir aquelas palavras, deixaremos aqui apenas números (já que o sr. tanto os venera) de vidas ceifadas, vidas que valiam tanto quanto a dos seus filhos ou de seus netos. Números causados pela propagação desse pensamento retrógrado como o seu, carregado de ódio, que incita a violência e que viola os direitos mais fundamentais do ser humano.

338 homossexuais mortos no Brasil por ano

1 homossexual morto a cada 26 horas por homofobia.

Crescimento de 21% ao ano de mortes por homofobia.

Brasil em 1º lugar no ranking mundial de assassinatos homofóbicos.

Brasil detém 44% das mortes por homofobia de todo o planeta.

*Números do Grupo Gay Bahia referentes a 2013.

Por fim, mais uma vez manifestamos o desgosto que nos causa em ver um presidenciável com tal postura. O Centro Acadêmico Cândido de Oliveira lutou pela democracia deste país e continuará lutando para que essa democracia seja plena, radicalizada e para que candidatos como o senhor jamais venham ocupar o posto de Presidente da República, pois a simples oportunidade de o sr. estar naquele debate, já custou muitas e muitas vidas e não deverá custar nenhuma outra sequer!

Homofóbicos Não Passarão!
Machistas Não Passarão!
Levys Não Passarão!

CACO 2014:. Gestão Pelo Direito, Sempre!
Pelo Direito de Sermos Quem Somos, Sempre!

CARTAABERTA

ENCONTRO REGIONAL DOS ESTUDANTES DE DIREITO (ERED)

O CACO divulga que o Encontro Regional dos Estudantes de Direito (ERED), chega a UFF, nos dias 26,27,28 de setembro, o evento que acontece anualmente em todas as regionais de direito do país.

Tem como finalidade alinhar o pensamento jurídico dos alunos de cada região e criar um discurso consistente que contenha os principais problemas jurídicos ocorridos em cada estado a fim de levá-lo à Federação Nacional dos Estudantes de Direito (FENED). Não se limitando apenas a enumerar problemas, o ERED também constrói soluções (tendo em vista sempre o aspecto da viabilidade) que são elaboradas pelos próprios alunos de direito.

O ERED 2014 UFF terá como tema o Estado de Exceção.

:: PROGRAMAÇÃO ::

26/09 – 18:00 – Credenciamento

19:30 – 21:00 Abertura

– Samantha Qaudrat (Doutora em História/UFF com pós-doutorado em História Política/UFRJ e especialista em Ditaduras Militares Latino-americanas)
– Daniel Iliescu (Presidente da UNE 2011-2013)
– Wadih Damous (Mestre em Direito Constitucional pela PUC-Rio e Presidente da OAB 2007-2012)

22:00 Festa 1 – Te Peguei de Toga

27/09 – 09:00 – 11:00 Painel II: Advogados e militares que disseram NÃO

– Gustavo Proença (Mestre em Direito pela PUC-Rio e Coordenador da ESA/OAB 2010-2013)
– Fernando Fragoso (Mestre em Direito Público/UFRJ e Advogado especialista na área criminal)

11:00 – 13:00 Oficinas

14:00 – 16:00 Grupos de Trabalho

17:00 – 19:00 Painel III: Reformas de Base

– Ricardo Lodi (Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Direito da UERJ – Mestrado e Doutorado)
– Mariana Trotta (Doutora em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade- UFRRJ)
– Joaquim Pinheiro (Direção nacional do MST e do Conselho do Brasil de Fato)

22:00 Festa 2 – Te Condeno ao Álcool

28/09 – 10:00- 12:00 Painel IV : Cicatrizes da Ditadura

– Orlando Zaccone (Delegado da Polícia Civil e Doutor em Ciência Política/UFF)
– Renata Schittino (Doutora em História pela PUC-Rio (2009) com pós-doutorado em História pela UFF)

13:00 – Plenária final e encerramento

Oficinas
Fanzine sobre Feminismo
Assistência Jurídica Popular
Mercantilização do Ensino e Universidades Privadas
Democratização da Mídia
Direito à cidade
Diversidade e sexualidade
Igualdade Racial

Pacotes:

Pacote 01 Palestras: 20,00
Pacote 02 Palestras + Alimentação: 50,00
Pacote 03 Palestras + Alojamento: 50,00
Pacote 04 Palestras + Alojamento + Alimentação: 70,00

Para adquirir os ingressos, vá a sala do seu respectivo Centro Acadêmico (UFRJ, UERJ, UFF, UNIRIO, IBMEC, UCP, PUC-Rio, UFRRJ, UFF Macaé, Ucam).

Obs.: Será dado certificado de 40h de atividades complementares para aqueles que comprarem o ingresso e comparecerem a 75% dos eventos do ERED (Palestras + GT’s + Oficinas)

Realização:CORED-RJ

CORED

NA LUTA CONTRA O MACHISMO – NOTA DAS MULHERES DO CACO

O Centro Acadêmico Cândido de Oliveira, legítimo representante das e dos estudantes da Faculdade Nacional de Direito, é reconhecidamente uma entidade combativa e protagonista na luta por direitos sociais na UFRJ e no Estado do Rio de Janeiro. A gestão atual, composta pelo Movimento Pelo Direito, Sempre! entende possuir um compromisso com a história dessa tão importante instituição e, devido a isso, não se cala diante das desigualdades percebidas em nossa sociedade, que não estão descoladas e se refletem dentro das paredes de nossa faculdade.

As mulheres que compõem a gestão do CACO enfrentam o desafio diário de combater o machismo dentro de todos os espaços da Faculdade Nacional de Direito. Nas salas de aula, nas reuniões de departamento, nas festas estudantis e até mesmo nos ambientes virtuais, procuramos nos posicionar firmemente no combate ao machismo, garantindo ambientes livres de qualquer forma de opressão de gênero. No entanto, sabemos que ainda temos muito a avançar. Recentemente, dentro de um dos espaços virtuais de nossa Faculdade, presenciamos frequentes manifestações de machismo, homofobia e sexismo, na qual, enquanto mulheres, nos posicionamos. Importante lembrar que, apesar de não fazerem parte da administração dos grupos de facebook da faculdade, as integrantes do CACO sempre buscam estar presentes nas mais diversas discussões acadêmicas, além de manifestarem-se quando existem abusos e opressões. Acreditamos que o debate saudável e empático seja o mais adequado para combatermos o machismo e as diversas opressões de gênero, principalmente em se tratando de espaços virtuais. Porém, nunca tivemos medo também de partir para o enfrentamento, quando fosse necessário, para garantir que esses ambientes ainda sejam espaços confortáveis para as mulheres de nossa faculdade.

É devido a isso, que muito nos surpreende e entristece a Carta de Repúdio criada pelo grupo “Universidades Feministas” e assinada por diversos coletivos, na qual a instituição CACO e a gestão atual são taxadas, sem mais delongas, de machistas.

As atitudes e comportamentos denunciadas pela referida Carta são também repudiadas pela atual gestão do Centro Acadêmico. Entendemos como política da gestão que devemos descontruir o patriarcado em todas as suas esferas, dentro e fora da UFRJ. Não à toa criamos em 2014 uma Diretoria de Mulheres específica para essas discussões; buscamos sempre a paridade de gênero nas demais diretorias; discutimos as músicas da faculdade com alunas/os e a Atlética; construimos plataformas de luta que vão desde palestras a atividades lúdicas de intervenção em nossos ambientes de organização. Prezamos sempre pela discussão ampla do patriarcado e machismo enraizados na sociedade, que sem dúvidas não estão descolados dos espaços e movimentos que construímos, mas certamente não merecemos receber o título de “manchadoras da história de lutas do CACO”, atribuído pela referida Carta de repúdio.

Diferentemente do que a mensagem afirma, nós construímos um Centro Acadêmico que: NÃO é conivente com as agressões machistas perpetradas no âmbito de nossa sociedade e Universidade; acompanha SIM a semana de calourada, orientando as comissões de trote para que as atividades sejam saudáveis e não opressoras; problematiza SIM as músicas cantadas em contexto de jogos universitários, tanto para a Atlética de nossa faculdade quanto para o corpo acadêmico no geral; atua SIM institucionalmente nos ambientes virtuais de nossa faculdade, produzindo, inclusive, notas institucionais de afirmação e de combate ao machismo nesses ambientes; busca SIM tornar os ambientes da Faculdade Nacional de Direito em espaços livres de quaisquer formas de opressão de gênero.

NÃO aceitaremos ser taxadas de coniventes e silentes numa luta que tanto nos é cara e que tanto nos esforçamos para travar num dos cursos mais conservadores e masculinos desse país, o Direito. Nossas companheiras de convívio, de trabalho e de luta não são perseguidas e humilhadas por defenderem o combate ao machismo em nossa faculdade à toa. Nosso esforço para ocupar os espaços políticos e de decisão, dentro e fora do Centro Acadêmico não são apenas válidos, como também são nossos maiores motivos de orgulho, enquanto pessoas, enquanto militantes pelos Direitos Humanos, enquanto mulheres, enquanto feministas, enquanto Movimento Pelo Direito Sempre e enquanto Gestão do Centro Acadêmico 2014.

Acreditamos que o feminismo deve ser combativo, mas também construtivo, empático e empoderador de mulheres. Por isso, convidamos o grupo “Universidades Feministas”, criador da referida Carta de Repúdio para a Reunião Aberta da Diretoria de Mulheres do CACO no dia 11/09 às 18 horas, para que possamos entender o fundamento dessas afirmações. Da mesma forma, convidamos o Coletivo Direito de Resistência (único coletivo de dentro da Faculdade Nacional de Direito a assinar a carta) para esta conversa, para entendermos o porquê de corroborarem com tais acusações, tendo em vista que não se manifestaram enquanto grupo político nos gritantes casos de machismo e opressão de gênero ocorridos nesta Faculdade em 2014, negligenciando questionamentos nos espaços virtuais.

Nossa luta deve compreender a percepção dos valores dados e questioná-los, enfrentá-los, empoderando, por fim – e por meio – uma contra-hegemonia empática e afirmativa. O feminismo não deve ser usado como bandeira para manobras e disputas políticas. Porque o feminismo tem a ver com amor, compreensão, direitos e empatia, mas em especial: com sororidade – a solidariedade entre mulheres. Um feminismo construído com repúdio a mulheres, torna-se um feminismo desconstruído. Nós mulheres, devemos permanecer unidas na desconstrução do patriarcado em nossos diversos espaços de atuação. E quando alguma companheira se sentir insatisfeita, não precisamos chamar o outro, mas chamar a mesma. Acreditar que somos capazes de nos acompanhar, nos defender e nos compreender é uma ideia que nós, mulheres do Movimento Pelo Direito Sempre temos como referencial. Isso porque temos a convicção tranquila, simples e forte de que a luta de uma é a luta de todas nós!

“Companheira, me ajude, eu não posso andar só
Eu sozinha ando bem, mas com você ando melhor!”

– Alessandra Torres – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Amanda Rostum – Diretora de Diversidade Sexual e Gênero do CACO
– Anna Carolina Soares – Diretora de Mulheres do CACO
– Camila Figueiredo – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Caroline Cubas – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Danielle Tavares – Diretora de Mulheres do CACO
– Ingrid Figueirêdo – Diretora de Movimentos Sociais do CACO
– Izabel Rodrigues – Ex-diretora de Combate às Opressões do CACO (gestão 2013)
– Joana Loureiro – Diretora Sócio Cultural do CACO
– Julia Helena – Diretora de Patrimônio e Finanças do CACO
– Larissa Lemgruber – Diretora Administrativa do CACO
– Larissa Paciello – Diretora Acadêmica do CACO
– Leandra Barcellos – Diretora Executiva do CACO
– Ludmila Coelho – Diretora de Imprensa do CACO
– Maria Isabel Pomaroli – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Mariana Moretti – Diretora de Pesquisa e Extensão do CACO
– Natália Trindade – Ex- Diretora Executiva do CACO, Advogada Ativista e Atual Membro da Comissão OAB Mulher
– Nathália Almeida – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Olga Martins – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Raquel Lopes – Integrante do Movimento Pelo Direito, Sempre!
– Vanessa Santos – Diretora Administrativa do CACO

(Todas integrantes do Coletivo de Mulheres da UFRJ)

CACO 2014 – Movimento Pelo Direito, Sempre!
Movimento Pelas Mulheres, Sempre!

orfas

35º ENED

ENED 2014

O CACO informa aos/às interessados/às em participar do 35º Encontro Nacional de Estudantes de Direito (ENED) que a FND terá vaga no ônibus da UERJ. Depois de problemas com ônibus da UFRJ e PUC, finalmente conseguimos vagas com o CALC, Centro Acadêmico da Faculdade de Direito da UERJ.

O ENED se realiza nos próximos dias 20 a 26 de julho, em Brasília e terá painéis com os temas de Desenvolvimentismo e Projeto de Nação; Dinâmica urbana e exclusão social e Estado de Exceção e Controle Social.

Para nós, é fundamental a participação dos estudantes de direito no encontro de sua executiva de curso, inclusive para trazer essa entidade de volta às suas bases. Deveria ser papel prioritário da Federação Nacional de Direito se posicionar sobre importantes debates jurídico-políticos como a Reforma Política, a reforma do judiciário, a democratização dos meios de comunicação, a desmilitarização da Polícia Militar e tantos outros temas afins à militância na frente do direito e, por isso, nossa participação é de extrema relevância nesses espaços.

Os e as estudantes que se interessarem deverão informar os dados abaixo para o endereço caconauta@gmail.com:

  • Nome completo
  • Rg
  • Cpf
  • Matricula
  • Período e turno
  • Celular
  • Telefone para contato em caso de emergência

Mais informações em: http://enedbrasilia2014.com/

CACO 2014 – Gestão Pelo Direito, Sempre!